sexta-feira, 18 de maio de 2018

CENÁCULO DE PENTECOSTES

50 dias após a Páscoa, ou seja, a ressurreição de Cristo, Deus envia-nos o seu santo espírito para manter a sua presença viva e ativa em nosso meio, sendo essa uma profecia de Jesus que batizaria com o seu fogo todos os homens e mulheres, de todas as nações e línguas formando assim a vossa igreja.



PENTECOSTES

(A GRAÇA DE DEUS DERRAMADA SOBRE NÓS)


“Quando chegou o dia de Pentecostes, os discípulos estavam todos reunidos no mesmo lugar. De repente, veio do céu um ruído como de um vento forte, que encheu toda a casa em que se encontravam. Então apareceram línguas como de fogo que se repartiram e pousaram sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito lhes concedia expressar-se. Residiam em Jerusalém judeus devotos, de todas as nações que há debaixo do céu. Quando ouviram o ruído, reuniu-se a multidão, e todos ficaram confusos, pois cada um ouvia os discípulos falar em sua própria língua” (At, 2, 1-6).

Segundo O Catecismo da Igreja Católica: “No dia de Pentecostes (no termo das sete semanas pascais), a Páscoa de Cristo completou-se com a efusão do Espírito Santo, que se manifestou, se deu e se comunicou como Pessoa divina: da Sua plenitude, Cristo Senhor derrama em profusão o Espírito” (CIC, n. 731).
Por essa razão, precisamos entender o significado da Terceira Pessoa da Santíssima Trindade: “O termo Espírito traduz o termo hebraico Ruah que, na sua primeira acepção, significa sopro, ar, vento. Jesus utiliza precisamente a imagem sensível do vento para sugerir a Nicodemos a novidade transcendente d’Aquele que é pessoalmente o Sopro de Deus, o Espírito Divino. Por outro lado, Espírito e Santo são atributos divinos comuns às Três Pessoas Divinas. Mas, juntando os dois termos, a Escritura, a Liturgia e a linguagem teológica designam a Pessoa inefável do Espírito Santo, sem equívoco possível com os outros empregos dos termos espírito e santo” (CIC, n. 691).

Nessa celebração somos convidados e enviados para professar ao mundo a presença do Espírito Santo. E invocarmos a efusão do seu Espírito para que renove a face da terra e aja com a mesma intensidade do acontecimento inicial dos Atos dos Apóstolos sobre a Igreja, sobre todos os povos e nações.

O ESPÍRITO SANTO CONDUTOR DA IGREJA E DE NOSSA FÉ

No ESPÍRITO SANTO originam-se os carismas, ministérios e serviços suscitados no correr dos séculos de nossa Igreja, que sempre foi inspirada a encontrar os caminhos da caridade, para chegar a todos os recantos e aos corações, com a criatividade que caracteriza seu serviço à humanidade.

OS DONS DO ESPÍRITO SANTO

Dele emanam dons, que nos fazem viver de forma divina a nossa vida nesta terra: Sabedoria, Entendimento, Conselho, Fortaleza, Ciência, Piedade, Temor de Deus. De sua presença prosperam os seguintes frutos: “amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, lealdade, mansidão, domínio próprio” (Gl 5, 22-23).

Quando falamos da vida segundo o Espírito, não devemos imaginar uma vida fora da realidade.

O Pai ama por meio do Filho (Jo 10,17) e derrama o Seu Espírito, o Defensor, para que permaneça com os Seus (Jo 14,16), ou seja, é um dom de Deus para toda a humanidade. Desde os primórdios, os padres da Igreja ensinam que esta nasceu no Espírito Santo doado por Cristo no alto da cruz, e também no cenáculo em Pentecostes. O Pentecostes, narrado no livro dos Atos dos Apóstolos, capítulo 2, é o mais famoso relato sobre Sua vinda, porém houve outros Pentecostes (Atos 4,31; 8,16-17; 11,44-48). Um mais atual ocorreu na fundação da Renovação Carismática Católica (RCC), onde o seu espírito foi derramado com grande força sobre os leigos ungidos da nossa Igreja .A Igreja nasceu no Espírito, Ela é movida, sustentada e guiada por Ele.

SACRAMENTOS

O Espírito Santo é invocado nos sacramentos, em diversas fases da vida de um cristão.
No batismo, somos batizados em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Quando somos perdoados no sacramento da penitência, somos perdoados pelo Espírito enviado do Pai e do Filho, e assim todos os sacramentos são realizados pela ação do Espírito.
Quando falamos da vida segundo o Espírito, não devemos imaginar uma vida fora da realidade, desvinculada de si mesma; aliás, a vida humana é composta pela realidade física, biológica, psíquica e espiritual, nenhuma deve ser descartada, pois o ser humano é um todo. Devemos ter bem claro isso: somos um conjunto, mas precisamos reconhecer que, quando a vida espiritual vai mal, as outras realidades acabam indo mal; e quando se vive uma espiritualidade sadia, consegue-se superar os males físicos, biológicos e psíquicos. Quando há saúde espiritual, os males em outras áreas podem não ser sanados, mas superados pela força do Espírito. O mal físico e a violência podem nos impedir de caminhar alguns metros e nos limitar, enquanto o Espírito Santo nos leva a sermos realmente livres.

VINDE ESPÍRITO SANTO

Vinde Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do Vosso Amor. Enviai o Vosso Espírito e tudo será criado e renovareis a face da terra.
Oremos: Ó Deus que instruíste os corações dos vossos fiéis, com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas segundo o mesmo Espírito e gozemos da sua consolação. Por Cristo Senhor Nosso. Amém

Fonte: https://formacao.cancaonova.com/espiritualidade/o-sentido-do-pentecostes/
http://shalom-israel-shalom.blogspot.com.br/2012/05/shavuot-pentecoste-festa-que-une-judeus.html
https://formacao.cancaonova.com/espiritualidade/espirito-santo/e-tempo-de-clamar-o-espirito-santo/
https://formacao.cancaonova.com/liturgia/tempo-liturgico/pentecostes/pentecostes-uma-vida-sob-a-acao-do-espirito-santo/

Post: Samuel Rocha

Postagens Relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...