quarta-feira, 23 de maio de 2018

CORAGEM E VOCAÇÃO


Ema Ilsi Seidel (71 anos), irmã em nossa paroquia há 12 anos.


O SEU CHAMADO À VOCAÇÃO


A primeira vez que sentiu o seu chamado à vida religiosa tinha apenas 10 anos, quando uma de suas irmãs casou e deixou a casa onde moravam para construir um lar junto a seu marido, ela percebeu que esse não era o seu sonho, mas sim o seu caminho seria traçado em uma vida religiosa consagrada.


VIDA CONSAGRADA  E BELEZA


Irmã Ema sente compaixão pela juventude atual que não se apaixona no belo projeto que é a vida consagrada ela ressalta que para essa missão extremamente importante para a nossa fé, Deus não escolhe os capacitados, mas capacita os escolhidos, ela é um grande exemplo disso e questiona-se como Deus a “encontrou” sendo que Ema residia no interior do Rio Grande do Sul, ela enfatiza a beleza que possuí a vida consagrada e destaca: Deus encontra quem se deixa encontrar, e Ele não deixa faltar nada, para que seus servos possuam uma vida íntegra a sua disposição.

MISSÃO E DESAFIO


Nossa irmã acredita que a maior dificuldade que um missionário possui, é a fidelidade ao que Deus nos propõe, é preciso conhecer a realidade e as dificuldades das pessoas que nos rodeiam, para que acertemos em nossas atitudes, sendo um grande desafio feliz e compensador.

ORAÇÃO É MOTIVAÇÃO


A maior motivação das Irmãs Teresianas é a oração, sendo que logo ao amanhecer, elas realizam uma hora de oração e contemplação diariamente, também o que lhes dá força é o apoio de nossa comunidade, elas possuem um amplo diálogo e apoio dos leigos e leigas de nossa paróquia.

O PRIMEIRO CONTATO COM A CONGREGAÇÃO


Algumas congregações fizeram o convite para que Ema seguisse sua vida religiosa junto a eles, nesse período ela já possuía uma irmã e um irmão, ambos a freira e o seminarista, futuro padre, que não podiam visitar as suas casas (isso ocorreu antes do concílio do vaticano II), a escolha foi realizada junto a sua mãe que a sugeriu que seguisse a mesma congregação da irmã, pois sempre que as viam estava alegre, e foi isso que ela fez: seguiu sua vida religiosa na Companhia da Santa Tereza de Jesus, e aos 15 anos seguiu, para o aspirantado (o primeiro passo para sua formação) onde ficou durante dois anos e foi para o postulantado naquela época ficou meio ano (agora fica-se de um a dois anos) após isso ocorreu o noviciado concluindo com os votos seguindo para a missão.

O PROJETO NAS CAPELAS

Na sua chegada em nossa paróquia, inicialmente visitavam as capelas aos domingos para formações sobre os sacramentos e liturgia com os participantes das capelas. E quando surgiram as missões populares ela dedicou-se inteiramente a esse projeto, dando retiros e acompanhar as capelas junto a uma equipe, e agora ocorrem formações bíblicas.

Há alguns anos surgiu o desafio proposto pelo nosso pároco, para que as irmãs fossem as capelas durante a semana santa, aceitaram o desafio, dividindo-se para várias capelas acompanhadas por leigos. Além das capelas pertencentes a nossa paróquia elas visitam outras paróquias e capelas de cidades vizinhas como Candói.

JUVENTUDE TERESIANA


Juventude teresiana é  a perseverança que ocorre entre a primeira eucaristia e o crisma sendo uma opção além do grupo jovem Kairós, nos encontros aprofunda-se sobre a doutrina teresiana.

SANTA TEREZA DE ÁVILA


Sua mãe faleceu quando Tereza tinha 14 anos. Então, seu pai a levou para estudar no Convento das Agostinianas de Ávila. Quando leu as "Cartas" de São Jerônimo, disse  a seu pai que iria se tornar religiosa. Seu pai não queria, mas com 20 anos ela "fugiu" para o Convento Carmelita de Encarnacíon, em Ávila.

Imagem e Post: Samuel Rocha

Postagens Relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...