quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Nulidade Matrimonial foi destaque no Encontro de Formação do Clero em Guarapuava

Este foi o último encontro de formação deste ano. Ao final dos trabalhos, houve a o envio do padre Érico Gurkowski, que trabalhará na Prelazia de São Félix do Araguaia, em Mato Grosso.



De 07 a 10 de novembro, a diocese de Guarapuava promoveu o Encontro de Formação Permanente do Clero. Esta foi a terceira vez que os padres da diocese se reuniram neste ano para discutir assuntos pertinentes às suas funções junto às comunidades onde atuam.
O encontro dos presbíteros foi realizado na Casa de Formação Nossa Senhora de Guadalupe, no bairro Santana.

Durante os quatro dias de encontro, diversas questões que dizem respeito às paróquias e à diocese foram discutidas. No entanto, o assunto principal foi sobre o Mutu Proprio promovido pelo Papa Francisco e publicado pelo Vaticano no dia 04 de junho de 2016, que versa sobre algumas mudanças que devem resultar em rapidez na análise dos processos de nulidade matrimonial.

Embora todos os padres tenham estudado sobre Direito Canônico antes de sua formação, o assunto requer novas abordagens para que dúvidas sejam sanadas, conforme destacou padre Valdecir Badzinski, pároco de Pinhão e também coordenador diocesano e regional do clero do Regional Sul 2 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Ele avaliou como positiva e esclarecedora a participação dos padres da diocese de Guarapuava no evento. “Durante o encontro, que durou de 07 a 10 de novembro, pudemos desenvolver diversas atividades com os padres da diocese de Guarapuava. Como em cada encontro, discorremos sobre um tema, o eleito para esta ocasião, foi sobre Direito Canônico, com foco no assunto Nulidade Matrimonial. Os assessores trabalharam detalhadamente estes assuntos e cada padre que participou pôde tirar suas dúvidas e também rememorar as aulas obtidas quando da formação presbiteral, no seminário”, destacou padre Valdecir.

Os trabalhos foram assessorados pelo padre Amilton Sampaio, da diocese de Cornélio Procópio e também pela professora de Mestrado em Direito Canônico e membro da Cúria Arquidiocese de Londrina, Sueli Almeida de Oliveira.

Para professora Sueli, os trabalhos com foco no assunto Nulidade Matrimonial, foram muito bem assimilados pelos padres que participaram. Ela ressalta que há muitos pontos que precisam ser entendidos e isto requer atenção e estudo das leis da Igreja. “Este é um assunto que não é novo na Igreja, mas que passou a ser visto com enfoque diferente desde a publicação do Motu Proprio proposto pelo Papa Francisco. A análise para a nulidade de um matrimônio precisa ser feita com base no ato deste sacramento. A possível anulação precisa de mecanismos e ações contidos naquele momento em que o Sacramento foi instituído. Vemos pessoas que por outros motivos, muitos anos depois de casadas, falam em anular um matrimônio e isto não procede. Não se anula casamento na Igreja Católica. O que se faz, é entender se o ato foi nulo ou não no momento em que foi realizado”, explicou a professora.

Padre Amilton grifa que a agilidade nos processos de Nulidade Matrimonial promove a paz de espírito nas pessoas envolvidas e lhes tira um peso da consciência. Conforme detalhou, pela nova proposta do Vaticano, os processos que antes demoravam anos para serem analisados e julgados, agora podem ser feitos em até sessenta dias. Isto, segundo ele, facilita a vida de muitas pessoas que, em alguns casos, já estão em uma segunda união e se sentem culpadas perante a Igreja pela situação considerada irregular em que vivem. “Esta agilidade na análise e também no julgamento de um processo só é possível se as duas partes envolvidas estiverem de acordo. Este entendimento beneficia inúmeras pessoas que, por se sentirem culpadas, acabam, em alguns casos, até se afastando do convívio das comunidades”, sublinhou.

Padre Amilton contou que os padres da diocese de Guarapuava que participaram do evento fizeram muitas perguntas e se mostraram interessados pelo assunto. Isto, conforme considera, é motivo de comemoração e representa um grande ganho para a Igreja. “O interesse dos sacerdotes é fator primordial no entendimento desta questão. Nas comunidades, nas paróquias, havendo este interesse por parte dos padres, há, sem dúvida, muita agilidade nos processos. Todos ganham com isto”, observou.

A criação de um Tribunal Eclesiástico na diocese de Guarapuava também foi assunto debatido no evento. Para o bispo diocesano, Dom Antônio Wagner da Silva, este é um trabalho que já vem sendo pensando e desenvolvido. Dom Wagner lembrou que há, por parte da diocese, um grande incentivo aos sacerdotes que queiram estudar este assunto para depois, fazerem parte do Tribunal que deve ser instalado nos próximos anos.

O padre Felipe Fabiane foi enviado a Roma, na Itália, para cursar Direito Canônico. O sacerdote de Guarapuava terá um período de três anos para concluir seus estudos e depois, deve assumir os trabalhos junto ao Tribunal Eclesiástico da diocese. “Nossa diocese está trabalhando há muito tempo no sentido de se preparar para a instalação do Tribunal Eclesiástico. Além do padre Felipe que está em Roma se preparando para trabalhar com os processos canônicos, também há vários cursos aqui no Brasil que podem ser feitos pelos nossos sacerdotes. Estamos incentivando às pessoas para que estudem e assim, possam auxiliar nesta tarefa da Igreja”, adiantou Dom Wagner.

OUTROS ASSUNTOS
Durante o encontro, também foi realizada uma reunião de decanato, onde se debateu as prioridades da diocese. Na ocasião, foram revisados assuntos referentes ao Dízimo como pilar de sustentação da Igreja, priorizando a unidade e a partilha entre as pessoas.
O documento 106 da CNBB que fala sobre “O Dízimo na Comunidade de Fé – Orientações e Propostas” foi mais uma vez estudado e cada um dos participantes teve a oportunidade de explanar seu ponto de vista.

 “Em nossa reunião de Decanato, pudemos revisar e debater as prioridades de nossa diocese. Nossa base de estudos naquele momento, foi o Documento 106 da CNBB que destaca sobre o Dízimo na Igreja enquanto proposta de fé e devoção de todos”, lembrou padre Valdecir.

Ao final dos trabalhos, no dia 10 de novembro, houve a celebração de envio do padre Érico Gurkowski, que passa a trabalhar na Missão evangelizadora da prelazia de São Félix do Araguaia, em Mato Grosso. Dom Wagner que presidiu a celebração destacou que é motivo de alegria para a diocese ter a possibilidade de enviar um missionário para outras terras e lá, trabalhar em favor das pessoas que mais precisam. “Hoje celebramos a beleza que é partilhar de nosso trabalho com outra região do país. Estamos felizes pelo envio do padre Érico e temos a certeza de que seus trabalhos serão de imensa valia naquela prelazia. Todos aqui estaremos unidos em oração ao nosso irmão que, a partir de hoje, passa a viver uma nova realidade. Nunca devemos nos furtar de partilhar da nossa pobreza”, observou Dom Wagner.

Padre Érico, por sua vez, ressaltou que ser missionário sempre foi um dos seus objetivos enquanto padre. “É com muita alegria que parto para esta missão. Desde que ingressei no seminário, na Congregação Xaveriana, eu tinha este objetivo. Quero ajudar naquela comunidade e servir a Igreja junto àquelas pessoas. Quando Dom Wagner me convidou para este desafio, senti-me honrado e feliz”, expressou padre Érico.


Post: Amilton Vieira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens Relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...