sábado, 10 de setembro de 2016

Missa de acolhida da imagem de Nossa Senhora Aparecida lota catedral em Guarapuava



A imagem da padroeira do Brasil foi doada pelo Santuário Nacional de Aparecida à diocese de Guarapuava. Até o final do ano, esta percorrerá todas as paróquias.
      Mesmo com forte chuva, milhares de pessoas saíram de suas casas para participar da recepção da imagem peregrina de Nossa Senhora Aparecida em Guarapuava na noite de 05 de setembro.
      Em romaria, a imagem chegou de Aparecida, São Paulo, na madrugada do mesmo dia e permaneceu na paróquia e santuário Nossa Senhora Aparecida em Guarapuava de onde partiu sobre a carroceria de uma caminhonete, protegida por uma redoma de vidro, em carreata às seis horas da terde com a participação de centenas de automóveis. Houve oração, fogos de artifício e grande festa durante o trajeto.
     Na catedral Nossa Senhora de Belém, uma multidão aguardava a procissão que chegou à igreja pouco antes das sete horas da noite.
     Em preparação para receber a imagem e os romeiros, o padre Paulo Carlos de Souza, pároco da comunidade São Luiz Gonzaga, em Guarapuava, proferiu orações e, junto com os presentes, fez verdadeira festa para receber a padroeira do Brasil.
     “Eu considero a preparação para uma celebração um dos momentos mais importantes para uma comunidade. Receber a imagem peregrina da padroeira do nosso país é uma verdadeira festa regada à alegria, contemplação e devoção. Sinto-me grato por esta oportunidade. Agradeço de coração às pessoas que, mesmo com chuva vieram prestigiar este momento importante para toda Igreja”, destacou padre Paulo durante os trabalhos.
     A presença da imagem peregrina em Guarapuava faz parte da celebração dos trezentos anos do Santuário Nacional de Aparecida, em São Paulo, que será comemorado em 2017. Junto a esta festa, durante todo o ano de 2016, a diocese de Guarapuava comemora seu Jubileu de Ouro. Os dois momentos da Igreja, conforme detalhou Dom Antônio Wagner da Silva, bispo de Guarapuava, são importantíssimos e devem ser considerados como verdadeiras bênçãos para todos. “São três séculos de encontro da imagem da padroeira do Brasil no rio Paraíba do Sul pelos pescadores. Em Guarapuava, celebramos nosso Jubileu de Ouro, por ocasião dos cinquenta anos de nossa diocese. Viver este momento é uma oportunidade única em nossas vidas e, com muita oração e devoção, devemos celebrar. A romaria para a busca da imagem que permanecerá em nossa diocese como presente é uma verdadeira beleza que só a fé pode proporcionar”, sublinhou Dom Wagner.
     Mais de setecentas pessoas de diversas paróquias da diocese de Guarapuava fizeram parte da romaria para buscar a imagem. Seguindo a programação jubilar, até o final do mês de novembro de 2016, a imagem peregrina percorrerá todas as paróquias da diocese, momentos estes onde acontecerão as celebrações e os festejos num união das famílias.      Depois disso, a imagem de Nossa Senhora Aparecida retorna para Guarapuava e poderá ser solicitada pelas paróquias e comunidades para procissões, peregrinações e eventos especiais. “Nesta romaria para buscar a imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, participaram mais de setecentas pessoas. Para a diocese de Guarapuava, é um número muito significativo e importante. Milhares de pessoas nos receberam em celebração. Isto também nos enche de alegria. Esta imagem que é um presente do Santuário Nacional para nossa diocese, já tem uma programação organizada e, até o final do mês de novembro deste ano, percorrerá todas as nossas paróquias, retornando, então para Guarapuava onde poderá ser solicitada para participar de festas especiais”, explicou Dom Wagner.
     HISTÓRIA DO ENCONTRO DA IMAGEM
     O encontro da imagem ocorreu em 1717, época das Capitanias Hereditárias. O governante das capitanias de São Paulo e Minas de Ouro estava de passagem pelo Vale do Paraíba, mais precisamente por Guaratinguetá. Animados com a visita, o povo daquela localidade resolveu fazer uma festa de boas-vindas e para isso chamaram três pescadores, Domingos Garcia, João Alves e Filipe Pedroso para lançar as redes no rio e pescar bons peixes.
     O fato era que, naquela época, meados de Outubro, não era tempo de peixes. Porém, como não podiam contradizer o pedido, rezaram pela proteção e bênção da Virgem Maria e de Deus para que pudessem voltar à terra firme com fartura. Depois de inúmeras tentativas sem sucesso, eis que surpreendentemente eles pescaram o corpo de uma imagem.          Curiosos, lançaram novamente as redes e “pescaram” uma cabeça que se encaixou perfeitamente ao corpo. Depois deste encontro, que nos dias de hoje é representado em todo o Brasil no dia 12 de outubro emocionando os fieis, o barco se encheu tanto de peixes que ele quase virou!
     A partir daí, a devoção da Santa foi se espalhando. Primeiro nas casas, depois se construiu uma capela, depois uma basílica, até chegar ao quarto maior santuário do mundo, o Santuário Nacional de Aparecida localizado na cidade de Aparecida, interior do Estado de São Paulo.
Foto: Mauricio Toczek
Fonte: Diocese de Guarapuava
Post: Luana Cordeiro - PASCOM Santos Anjos


Postagens Relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...