sexta-feira, 1 de julho de 2016

"Podemos pensar de maneira diferente, mas temos de conversar para o bem do Brasil", afirma Dom Leonardo

Em entrevista à Rádio Vaticano, secretário geral da CNBB fala sobre a crise política vivida pelo Brasil.



O bispo auxiliar de Brasília (DF) e secretário geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Leonardo Steiner, participou de entrevista na Rádio Vaticano, em Roma. Em passagem pela cidade, o bispo conversou com a equipe do Programa “Em Romaria”, da redação brasileira da emissora.
Entre os assuntos abordados, Dom Leonardo falou da conjuntura nacional, com destaque para a crise da democracia, o papel da CNBB, os Jogos Olímpicos Rio 2016, o vírus Zika e a “cultura do estupro”.
Sobre a vida política do Brasil, o bispo disse ser preciso que os governantes deem mais atenção aos interesses da população, trabalhando pelo bem de todos. “Temos um Congresso Nacional que preocupa dado aos interesses de determinados grupos e partidos”, afirmou.
Dom Leonado citou a nota aprovada pelo Conselho Permanente da CNBB, no início deste mês, que fala da PEC 015 sobre a demarcação e validação das terras indígenas pelo Congresso Nacional e sobre a maioridade penal. “No momento atual, de fragilidade, os deputados e senadores retomam esses assuntos que são preocupantes. A CNBB manifestou-se de novo contrária a essas mudanças”, acrescentou.
Dom Leonardo disse, ainda, que a CNBB se preocupa muito com a ética na política. “Sentimos que o interesse dos partidos se sobrepõe ao da sociedade brasileira”, sublinhou.
“Nós temos insistido no combate à corrupção e também na questão do diálogo. Não se pode parar de dialogar. Nós podemos ter pontos divergentes, pensar de maneira diferente, mas temos de conversar para o bem do Brasil. Essa tem sido nossa insistência”, disse.
Para o bispo, a discussão sobre política é necessária. “A discussão nos leva a uma maturação maior. Sem isso nós não cresceremos, não teremos um Brasil melhor”, sugere.
Olimpíadas
A respeito dos jogos olímpicos, Dom Leonardo lembrou que o evento se caracteriza pelo elemento da paz. Disse, ainda, que o Rio não é o único Estado com dificuldades financeiras e que há outros em situação semelhante. “Mas é preciso olhar que temos um compromisso com o mundo, com tantas delegações, de proporcionarmos boas olimpíadas”, completou.
Com relação ao Zika, Dom Leonardo falou sobre o empenho da Igreja no combate ao mosquito Aedes Aegypti.
Violência contra a mulher
Em relação a fatos recentes sobre abusos sexuais envolvendo menores, o bispo alertou ser preciso cada vez mais defender a vida e a dignidade da pessoa. “Toda a questão do estupro, do abuso sexual, tem a ver com uma decadência da nossa época da compreensão da pessoa e, por isso, também, uma compreensão decadente da sexualidade humana: nós não somos animais”, pontuou.
A íntegra da entrevista com dom Leonardo está disponível no link: Em Romaria
CNBB com informações e foto da Rádio Vaticano.

Fonte: Diopuava

Sirlei Pereira

Postagens Relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...