terça-feira, 28 de junho de 2016

Diocese de Guarapuava e Regional Sul 2 da CNBB enviam missionária à África

A missionária leiga xaveriana, da Paróquia Sant’Ana, em Laranjeiras do Sul, Elizete da Aparecida Toledo, embarca para a Guiné Bissau em julho. Ela permanece no país africano por três meses.



O chamado para servir ignora as fronteiras, rompe com barreiras e se destaca em qualquer lugar, em qualquer tempo. Ser missionário é muito mais que uma disponibilidade de tempo, é muito mais que um trabalho. Ser missionário significa doação, entrega total em prol de uma causa, em favor da vida.
A Diocese de Guarapuava vive intensamente seu momento jubilar. Neste tempo de festejos e comemorações, há que se destacar a doação e a partilha como verdadeiros alicerces a dar sustentação às grandes causas em favor da vida humana.
Em uma demonstração de doação e de entrega à missão além das fronteiras paroquiais, da Diocese, do Estado e do Brasil, Elizete da Aparecida Toledo, da cidade de Laranjeiras do Sul, que é leiga missionária xaveriana, parte, no dia 25 de julho, rumo ao continente Africano, ao país da Guiné Bissau, para servir como missionária na Diocese de Bafatá, num trabalho mantido pelo Regional Sul 2 da CNBB, na região de Quebo. Elizete permanecerá no país africano por três meses, quando retorna para o Brasil e para sua comunidade em Laranjeiras do Sul.
Segundo destaca a missionária, a busca por novas experiências e a vontade de evangelizar é o que lhe move para o trabalho que desenvolverá naquele país.
Elizete que é profissional da área de educação pretende usar seus conhecimentos para ajudar ao povo de Quebo que, de acordo com os missionários que lá atuam, vivem em sua maioria, em extrema pobreza.
A Guiné Bissau, que declarou sua independência em 1973, é, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), um país considerado entre os mais pobres do mundo. Lá, ainda não chegou energia elétrica e até agora nenhum presidente conseguiu concluir seu mandato devido a conflitos internos. A maioria na Guiné Bissau é de religião muçulmana e os cristãos ainda não têm muitos espaços para orações e evangelização. Os conflitos inter-religiosos ainda existem, mas foram amainados ao longo dos anos.
Recentemente, uma casa foi construída para os missionários paranaenses que lá trabalham. Os materiais para a realização das obras, bem como ferramentas, foram levados do Brasil. Missionários do Regional Sul 2 da CNBB e moradores locais ajudaram na construção da casa que desde o início deste ano, já pode receber pessoas que lá permanecerão por certo tempo.
Em nota, a congregação destacou que o envio de Elizete ao país africano é motivo de muitas alegrias e reforça o compromisso missionário que os xaverianos sempre tiveram em todo o mundo em se tratando de evangelização e também de questões humanitárias. “Esta oportunidade é motivo de alegria e compromisso missionário que assumimos juntos. A missionária Elizete não vai só. Ela levará nosso sonho de fazer do mundo uma só família ao povo guineense e com certeza levará a mensagem de amor, doação, misericórdia e fraternidade do carisma xaveriano”, destaca a congregação em um comunicado.
Para o bispo de Guarapuava, Dom Antônio Wagner da Silva, incentivar os trabalhos missionários e promover o envio de pessoas da comunidade a outras regiões que precisam dos serviços, se faz necessário. Dom Wagner destaca que “é hora de darmos da nossa pobreza ao mundo”.
“Nossa diocese foi marcada por receber missionários que vieram evangelizar por aqui e deixaram seu legado. Muitos ainda virão para trabalhar nesta região numa união cristã e de muito amor. Mas agora, também temos condições de enviar nossos missionários para atuar em outras terras, viver novas experiências. Há alguns anos, mantemos uma missão na diocese de São Félix do Xingu onde nossos padres desenvolvem um grande trabalho junto àquela comunidade e agora, temos a oportunidade de enviar uma missionária de Laranjeiras do Sul para a Guiné Bissau. Isto nos alegra muito”, exortou Dom Wagner.
Depois de manifestar seu interesse em fazer parte da Missão na Guiné Bissau, Elizete participou de encontros e conversas promovidos pelo Regional Sul 2 como forma de entender um pouco mais sobre a vida naquele país.
No final de 2015, os missionários Pedro Lang, que é diácono e Salete Lang, responsáveis pela Missão em Quebo, estiveram em Guarapuava para um encontro com interessados em trabalhar na Guiné Bissau. Na ocasião, Elizete participou da conversa e disse que aquele momento foi importantíssimo para ela, pois teve a certeza de que precisava ser missionária da África e doar um pouco de si a quem tanto precisa. “Eu sempre quis servir como missionária em outro país. Já estava determinada a ir para a África. Depois da conversa que tivemos com a Salete e o diácono Pedro, tive a certeza de que precisava mesmo trabalhar por um tempo na Guiné Bissau”, grifou.

Fonte: Diopuava

Por: Sirlei Pereira

Postagens Relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...