sexta-feira, 20 de maio de 2016

Diocese de Guarapuava em preparação para o dia de Corpus Christi

Este ano, como gesto concreto, os organizadores pedem para que os participantes que puderem, façam doações de cobertores que serão destinados às pessoas pobres para que não pereçam durante o inverno.



Na próxima quinta-feira, dia 26, a Igreja está em festa com a celebração de Corpus Christi.
A Diocese de Guarapuava, em comunhão com todas as Paróquias, realizará uma programação especial neste dia. No Decanato Centro, as celebrações terão início às 07 horas da manhã com uma missa na Paróquia Santa Terezinha. Em seguida, haverá a adoração ao Santíssimo Sacramento.
Às 14 horas terá início uma procissão que parte da Igreja Santa Terezinha e segue até a Praça da Fé, percorrendo a Avenida Moacir Júlio Silvestri, seguindo pela Rua Bahia, entrando, em seguida na Rua Capitão Rocha, chegando assim à Praça da Fé onde haverá a celebração de uma missa campal.
No trajeto, as ruas serão decoradas com o tradicional tapete de serragem colorido e desenhado, numa saudação ao Dia Santo.
Este ano, como gesto concreto, os organizadores pedem para que os participantes que puderem, façam doações de cobertores que serão destinados às pessoas pobres para que não pereçam durante o inverno que costuma ser rigoroso na cidade. A orientação da organização é para que os donativos sejam entregues nas secretarias das Paróquias ou, no dia da procissão, em local destinado para este fim. Na Praça da Fé, um caminhão coletará os cobertores doados pela população.
As paróquias ficarão encarregadas de destinar os donativos às pessoas necessitadas conforme cadastro previamente elaborado.
SOBRE CORPUS CHRISTI
A festa de Corpus Christi (Corpo de Cristo) do latim, tem por objetivo celebrar solenemente o mistério da Eucaristia, o Sacramento do Corpo e do Sangue de Jesus Cristo.
Acontece sempre em uma quinta-feira, em alusão à Quinta-feira Santa, quando se deu a instituição deste sacramento. Durante a última ceia de Jesus com seus apóstolos, Ele mandou que celebrassem Sua lembrança comendo o pão e bebendo o vinho que se transformariam em seu Corpo e Sangue.
“O que come a minha carne e bebe o meu sangue, tem a vida eterna e, eu o ressuscitarei no último dia. Porque a minha carne é verdadeiramente comida e o meu sangue é verdadeiramente bebida. O que come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele. O que come deste pão viverá eternamente” (Jo 6, 55 – 59).
Através da Eucaristia, Jesus nos mostra que está presente ao nosso lado, e se faz alimento para nos dar força para continuar. Jesus nos comunica seu amor e se entrega por nós.
ORIGEM DA CELEBRAÇÃO
A celebração teve origem em 1243, em Liège, na Bélgica, no século XIII, quando a Freira Juliana de Cornion teria tido visões de Cristo demonstrando-lhe desejo de que o mistério da Eucaristia fosse celebrado com destaque.
Em 1264, o Papa Urbano IV através da Bula Papal “Trasnsiturus de hoc mundo”, estendeu a festa para toda a Igreja, pedindo a São Tomás de Aquino que preparasse as leituras e textos litúrgicos que, até hoje, são usados durante a celebração. Compôs o hino “Lauda Sion Salvatorem” (Louva, ó Sião, o Salvador), ainda hoje usado e cantado nas liturgias do dia pelos mais de 400 mil sacerdotes nos cinco continentes.
A procissão com a Hóstia consagrada conduzida em um ostensório é datada de 1274. Foi na época barroca, contudo, que ela se tornou um grande cortejo de ação de graças.
NO BRASIL
No Brasil, a festa passou a integrar o calendário religioso de Brasília, em 1961, quando uma pequena procissão saiu da Igreja de madeira de Santo Antônio e seguiu até a Igrejinha de Nossa Senhora de Fátima. A tradição de enfeitar as ruas surgiu em Ouro Preto, cidade histórica do interior de Minas Gerais.
A celebração de Corpus Christi consta de uma missa, procissão e adoração ao Santíssimo Sacramento.
A procissão lembra a caminhada do povo de Deus, que é peregrino, em busca da Terra Prometida. No Antigo Testamento esse povo foi alimentado com maná, no deserto. Hoje, ele é alimentado com o próprio Corpo de Cristo.
Durante a Missa o celebrante consagra duas hóstias: uma é consumida e a outra, apresentada aos fiéis para adoração. Essa hóstia permanece no meio da comunidade, como sinal da presença de Cristo vivo no coração de sua Igreja.

Fonte: Diopuava

Sirlei Pereira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens Relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...