terça-feira, 2 de junho de 2015

ISIS queima uma mulher cristã de 80 anos que se negou a converter-se ao Islã


Roma, 02 Jun. 15 / 12:53 pm (ACI).- Uma mulher cristã de 80 anos foi queimada viva pelos extremistas do Estado Islâmico (ISIS) no povoado de Karamlish, localizado a 20 km de Mosul (norte do Iraque) porque não ter aceito converter-se ao Islã.
Sa´ed Manuzini, representante do Partido Democrático do Curdistão em Mosul, alertou na terça-feira passada ao jornal BasNews: “Os terroristas do ISIS queimaram viva uma idosa, em uma localidade ao leste da cidade. Os aldeões informaram que esta mulher -cujo nome se desconhece- foi assassinada pelos extremistas por negar se submeter à ‘lei da Sharia’. ” A Sharia, ou Xaria, é a lei islâmica que proíbe entre outras coisas a prática de outras religiões.
Karamlish é uma das doze aldeias cristão-assírias, localizada na planície de Nínive, que junto com a cidade de Mosul foram ocupadas pelo ISIS em junho do ano passado. Do mesmo modo, denunciaram a destruição de numerosas igrejas.
A agência de notícias Assyrian International News indicou: “Cerca de 200 mil pessoas fugiram dos povoados assírios e procuraram refúgio no norte do Curdistão. Entretanto, alguns habitantes ficaram nos povoados pois são idosos ou deficientes físicos, portanto, impedidos de mobilizar-se”.
Desde sua invasão no Iraque e na Síria, o ISIS assassinou um número desconhecido de cristãos, causando além disso a emigração de centenas de milhares. Os cristãos que não aceitam converter-se ao Islã, são obrigados pelos terroristas muçulmanos a abandonarem suas casas ou pagar um alto imposto por não converter-se. Entretanto, na maioria dos casos o ISIS aplica a pena de morte, como o fez com 21 cristãos decapitados na Síria no início do ano que não quiseram abrir mão da fé e foram reconhecidos como mártires naIgreja copta. 
POST EM BY Walter Unger

Postagens Relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...