quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

O Sentido da Novena de Natal

Final do ano se aproxima e os cristãos começam a se preparar para a chegada do Menino Deus.
Grupos e comunidades se reúnem para rezar durante nove dias e fazem a tradicional novena de Natal.
A novena tem por tradição consagrar os últimos dias do advento à imediata preparação do natal.
Ela é celebrada nas famílias, reunindo os vizinhos e atualizando o gesto concreto em que Maria visitou sua prima Isabel.
Também nós, somos convidados a ir de encontro aos nossos vizinhos.
Com a novena do natal retomamos o sentido da espera ansiosa pela vinda do Messias, e de um modo muito ardoroso nos colocamos em atitude de vigilância.
Em entrevista exclusiva ao portal A12, o Padre André Gustavo de Sousa que é formador do Seminário Missionário Bom Jesus e Assessor da Comissão Bíblico-Catequética da Arquidiocese de Aparecida disse que as novenas de Natal nos ajudam a preparar nosso coração pela conversão para acolher o Senhor que vem despertando nos corações o sentido da espera vigilante pela vinda gloriosa do Senhor e motivando-nos à construção de um mundo melhor.
“Repleta de sentido espiritual, pastoral e comunitário, a novena nos ajuda a bem preparar essa grande festa e celebrarmos com alegria e fé a vinda do Deus-Conosco na nossa história. É momento forte de evangelização em nossas comunidades”, disse.
Acompanhe a entrevista com Padre André Gustavo:
A12- Qual o significado da novena de natal?
Pe. André- A novena de Natal é o momento forte em que a comunidade se reúne para preparar a Festa do nascimento de Jesus Cristo. Neste tempo, muitas pessoas se reúnem para rezar em pequenas comunidades, em família, em pequenos grupos, na espera do Salvador e na renovação da esperança de um tempo novo.

A12- Como surgiu essa tradição? 
Pe. André- O Diretório Sobre Piedade Popular e Liturgia, da Congregação para o Culto Divino, diz no nº 103: “A novena do Natal surgiu para comunicar aos fiéis as riquezas de uma Liturgia à qual eles não tinham fácil acesso. A novena de Natal de fato exerceu uma função salutar e ainda pode continuar a exercê-la. Entretanto, em nosso tempo, no qual ficou mais fácil a participação do povo nas celebrações litúrgicas, é desejável que entre os dias 17 a 23 de dezembro a celebração das Vésperas ganhe caráter solene, com as “antífonas maiores”, e os fieis sejam convidados a participar delas. Tal celebração, antes ou depois da qual poderão ser valorizados alguns elementos caros à piedade popular, constituiria uma excelente “novena de Natal” plenamente litúrgica e atenta às exigências da piedade popular. Dentro da celebração das Vésperas podem ser desenvolvidos alguns elementos já previstos (por exemplo, homilia, uso do incenso, adaptação das intercessões.” Como vimos a novena faz parte dos sacramentais da Igreja e surgiu com o intuito de melhor evangelizar e conscientizar o povo da importância, da beleza e do significado da festa do Natal. Por isso podemos fazê-la de muitos modos, conforme nossa identidade religiosa, cultural, a partir do chão de nossa vida, de nossas alegrias e esperanças, lutas e sofrimentos, mas com fé na vitória do Amor que nasce e renasce sempre em nossos corações.

A12- De que maneira os cristãos devem realizar a novena? 
Pe. André- Devemos participar da novena com o coração aberto e muita boa vontade para que esta preparação seja de grande riqueza espiritual e catequética para todos. Participando com fé vamos entender que o verdadeiro sentido do Natal é religioso e não pode seguir ideologias do mundo capitalista e consumista. Devemos participar com espírito fraternal, ser família entre as famílias, por isso vamos de casa em casa levando a imagem de Jesus Menino, em clima de oração, lendo, meditando e rezando a Palavra de Deus, em espírito de partilha e solidariedade. Devemos alcançar o maior número possível de famílias para serem evangelizadas também através desta novena.
A participação das famílias deve ser um destaque na novena, pois o Natal é a festa do amor de Deus que se fez família. Devemos ter espírito missionário e sair de nossos templos e irmos ao encontro, sobretudo daquelas famílias, que muitas vezes não compartilham conosco a vida pastoral e litúrgica de nossas comunidades, mas vivem os mesmos sentimentos de esperança por uma nova vida, mais plena de sentido e feliz. Enfim devemos nos inspirar no entusiasmo das primeiras comunidades que se reuniam nas casas, desejosas e esperançosas da vinda do Senhor e suplicar insistentemente em família: Vem, Senhor Jesus!
Tudo deve ser preparado com muito amor: a acolhida, o ambiente, a meditação da Palavra de Deus, o coração dos participantes animados pelo amor e pela solidariedade. Devemos incluir a todos, crianças, jovens e adultos e celebrar num clima alegre, festivo concluindo a novena com uma bonita confraternização. É importante que seja próxima da festa do Natal (os 9 dias que antecedem), conforme a realidade das pessoas e das comunidades.

A12- Por que é mais comum as novenas de natal serem realizadas em pequenas comunidades?
Pe. André- Somos uma só família, a família de Deus, congregada nas igrejas particulares, em suas respectivas paróquias e comunidades. Somos uma rede de comunidades! Assim, não só a novena de Natal, mas nossos encontros celebrativos, pastorais, evangelizadores devem ser vividos em pequenas comunidades para alcançar o maior número possível de cristãos e assim alargar os horizontes da missão evangelizadora da Igreja. Deste modo, a novena de Natal também fortalece os laços fraternos das famílias reunidas em comunidade. É o mistério de Cristo, revelação máxima do amor de Deus-Comunhão unido ao mistério da vida que nos rodeia, de nossa história com suas angústias e esperanças. Realizadas em pequenas comunidades, a novena de Natal pode assumir um caráter mais profético, comunicando com alegria a chegada do reino de Deus, convocando-nos a conversão para acolhê-lo.

A12- As novenas de natal ainda acontecem em empresas e paróquias ou se perdeu nos últimos anos?
Pe. André- Sobretudo em nossas comunidades e paroquiais a novena preserva seu valor e é muito bem vivida. Quantos agentes, líderes estão empenhados nesta missão percorrendo as casas, alcançando as famílias e ajudando muita gente a se preparar bem para celebrar o Natal! Mas ainda podemos fazer mais, superar o comodismo, fruto da correria e da rotina da vida que nos faz perder o gosto até pelas coisas de Deus. Não podemos fazer uma novena tímida, fechada, sem motivação e o brilho da fé. Muitos não podem participar pela exigência do trabalho, de tantas outras ocupações. Mas isso não pode servir de desculpa para nos acomodarmos. Devemos aproveitar bem deste tempo para evangelizar. Bom seria se outros organismos sociais, empresas, associações, comerciantes e tantos outros pudessem reservar um tempo para os grupos realizarem a novena de Natal. Creio que não existam muitas iniciativas assim e se existem, fazem muito bem em vivê-las.

A12- As novenas de natal obedecem algum tema proposto pela igreja ou podem ser realizadas de acordo com a vontade ou necessidade de cada comunidade?
Pe. André- A Igreja oferece vários modelos e subsídios para a novena de Natal, mas cada comunidade tem plena liberdade de preparar, escolher, adaptar-se à sua realidade. Não precisa uniformizar, mas podemos recorrer à preciosos subsídios que nos ajudam a preparar bem o coração para a celebração do mistério do Natal.

A12- Além da novena de natal, de que maneira os católicos devem se preparar para o nascimento de Jesus?
Pe. André- Além da Novena de Natal é importante que participemos das celebrações litúrgicas do Tempo do Advento, alimentando nosso coração na Eucaristia e também assumindo um propósito sincero de conversão e celebração do Sacramento da Reconciliação. Aperfeiçoar a vivência das virtudes da fé, esperança e caridade, combatendo a mentalidade puramente consumista, que relativiza o Absoluto e absolutiza coisas que não atingem o coração e dão pleno sentido à vida. Devemos preparar verdadeiramente o nosso coração para celebrar o Natal, sustentados pela Palavra de Deus: lendo, meditando, rezando, contemplando o que Deus nos diz pelos profetas, pelo próprio Jesus e resgatar os valores essenciais cristãos: vigilância, conversão, vida de oração e a esperança de um mundo novo, pleno do Amor de Deus. Que este tempo nos incentive à solidariedade, a comunhão fraterna, a defesa da vida e promoção da dignidade humana. Assim teremos um Natal verdadeiro e feliz, repleto de luz, de paz e da alegria pelo dom da Salvação!

Por: André Costa - Portal A12

Fonte: https://www.facebook.com/aalegriadaigreja/posts/239808756150615

"Pascom Santos Anjos"
Mauro Lucas Ferreira

Postagens Relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...