quarta-feira, 23 de maio de 2018

CORAGEM E VOCAÇÃO


Ema Ilsi Seidel (71 anos), irmã em nossa paroquia há 12 anos.


O SEU CHAMADO À VOCAÇÃO


A primeira fez que sentiu o seu chamado à vida religiosa continha 10 anos, quando uma de suas irmãs casou e deixou a casa onde moravam para construir um lar junto a seu marido, ela percebeu que esse não era o seu sonho, mas sim o seu caminho seria traçado em uma vida religiosa consagrada.

VIDA CONSAGRADA  E BELEZA


Ema sente compaixão pela juventude atual que não se apaixona no belo projeto que é a vida consagrada ela ressalta que para essa missão extremamente importante para a nossa fé, DEUS não escolhe os capacitados, mas capacita os escolhidos, ela é um grande exemplo disso e questiona-se como DEUS a “encontrou” sendo que Ema residia no interior do Rio Grande do Sul, ela destaca a beleza que possuí a vida consagrada e destaca: Deus encontra quem se deixa encontrar, e Ele não deixa faltar NADA, para que seus servos possuam uma vida íntegra a sua disposição.

MISSÃO E DESAFIO


Nossa irmã acredita que a maior dificuldade que um missionário possui, é a fidelidade ao que Deus nos propõe, é preciso conhecer a realidade e as dificuldades das pessoas que nos rodeiam, para que acertemos em nossas atitudes, sendo um grande desafio feliz e compensador.

ORAÇÃO É MOTIVAÇÃO


A maior motivação das irmãs teresianas é a oração, sendo que logo ao amanhecerem elas possuem uma hora de oração e contemplação diariamente, também lhes dá força é o apoio de nossa comunidade, elas possuem um amplo diálogo e apoio dos leigos e leigas de nossa paróquia.

O PRIMEIRO CONTATO COM A CONGREGAÇÃO


Algumas congregações fizeram o convite para que Ema seguisse sua vida religiosa junto a eles, nesse período ela já possuía uma irmã e um irmão, ambos a freira e o seminarista, futuro padre, que não podiam visitar as suas casas (isso ocorreu antes do concílio do vaticanoII), a escolha foi realizada junto a sua mãe que a sugeriu que seguisse a mesma congregação de as irmã, pois sempre que as viam estava alegre, e foi isso que ela fez seguiu sua vida religiosa na Companhia da Santa Tereza de Jesus, e aos 15 anos seguiu, para o aspirantado (o primeiro passo para sua formação) onde ficou durante dois anos e foi para o postulantado naquela época ficou meio ano (agora fica-se de um a dois anos) após isso ocorreu o noviciado concluindo com os votos seguindo para a missão.

O PROJETO NAS CAPELAS


Na sua chegada em nossa paróquia, inicialmente visitavam as capelas aos domingos para formações sobre os sacramentos e liturgia com os participantes das capelas. E quando surgiram as missões populares ela dedicou-se inteiramente a esse projeto, dando retiros e acompanhar as capelas junto a uma equipe, e agora ocorrem formações bíblicas.
Há alguns anos surgiu o desafio proposto pelo nosso pároco, para que as irmãs fossem as capelas durante a semana santa, aceitaram o desafio, dividindo-se para várias capelas acompanhadas por leigos. Além das capelas pertencentes a nossa paróquia elas visitam outras paróquias e capelas de cidades vizinhas como Candói.

JUVENTUDE TERESIANA


Juventude teresiana é  a perseverança que ocorre entre a primeira eucaristia e o crisma sendo uma opção além do grupo jovem Kairós, nos encontros aprofunda-se sobre a doutrina teresiana.

SANTA TEREZA DO MENINO JESUS


Quando adolescente já havia perdido sua mãe e não desejava ser freira, mas sendo peralta seu pai a colocou em um convento, convivendo no local se apaixonou pela vida religiosa, a qual tornou-se uma religiosa carmelita, morava no convento não possuindo um postulado externo, focando em uma vida espiritual contemplativa, visando em primeiro lugar a oração.

Imagem e Post: Samuel Rocha

terça-feira, 22 de maio de 2018

PASTORAL DA CRIANÇA JESUS MENINO

           Paróquia Santos Anjos caminha a todo vapor com suas Pastorais e Movimentos .
A pastoral da criança JESUS MENINO sob a responsabilidade de Maria da Conceição Farago Unger, vem desenvolvendo um papel fundamental  em nossa Paróquia , reúne as mães e gestantes com acompanhamento psicológico , espiritual  e material.
Com a Coordenação geral de Clemair Bonfim . Foram criadas e formadas varias agentes de pastoral.
Uma delas é a professora ( tia Maria ) da escola Rui Marques, Aposentada de suas atividades esta exercendo  a pastoral da criança JESUS MENINO . e suas reuniões toda terceira quinta-feira de cada mês as 14 hs no salão Paroquial , com uma suculenta sopa  muito especial preparada por nossas cozinheiras amadas e queridas que também se doam ao serviço da igreja .









Postem By Walter Unger

MUITO MAIS FOTOS CLICANDO AQUI

segunda-feira, 21 de maio de 2018

CAPELA EXTERNA

A Capela Externa se reuniu nesse sábado, 12 de maio, com 80 jovens campistas, realizaram uma formação com o tema "A importância da intercessão"

Nas palavras das coordenadoras da formação, o momento foi incendiado pelo Espírito Santo!


Post: Ellen Karolynne - Coordenadora PASCOM

sexta-feira, 18 de maio de 2018

IRMÃS TERESIANAS EM CONFRATERNIZAÇÃO









Com a presença de Lideranças as Irmãs Teresianas fecham a semana com uma linda e proveitosa reunião e confraternização . Irma Asunción Codes de - Roma e irmã Alzira Nascimento Coordenadora Geral da Provincia viram o resultado de um belissimo trabalho feito por nossas queridas irmãs Teresianas . Com documentos foi mostrado a troca do nome da rua que passou a ser Santa Teresa de Jesus . Circulo Biblico em andamento, Reuniões e formações a todo vapor . Formação com as crianças Menino Jesus . Ensaios de Cantos , reuniões semanais com familias Teresianas e muito mais . Grupo Angels nos abrilhantou com sua presença, mesa farta de guloseimas fechou a quinta feira de oração e prestação de contas . presenças de lideranças paroquiais, amigos de Teresa . tudo em uma iniciativa das irmãs Teresianas em nossa Paróquia.









Poste em By Walter Unger


CENÁCULO DE PENTECOSTES

50 dias após a Páscoa, ou seja, a ressurreição de Cristo, Deus envia-nos o seu santo espírito para manter a sua presença viva e ativa em nosso meio, sendo essa uma profecia de Jesus que batizaria com o seu fogo todos os homens e mulheres, de todas as nações e línguas formando assim a vossa igreja.



PENTECOSTES

(A GRAÇA DE DEUS DERRAMADA SOBRE NÓS)


“Quando chegou o dia de Pentecostes, os discípulos estavam todos reunidos no mesmo lugar. De repente, veio do céu um ruído como de um vento forte, que encheu toda a casa em que se encontravam. Então apareceram línguas como de fogo que se repartiram e pousaram sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito lhes concedia expressar-se. Residiam em Jerusalém judeus devotos, de todas as nações que há debaixo do céu. Quando ouviram o ruído, reuniu-se a multidão, e todos ficaram confusos, pois cada um ouvia os discípulos falar em sua própria língua” (At, 2, 1-6).

Segundo O Catecismo da Igreja Católica: “No dia de Pentecostes (no termo das sete semanas pascais), a Páscoa de Cristo completou-se com a efusão do Espírito Santo, que se manifestou, se deu e se comunicou como Pessoa divina: da Sua plenitude, Cristo Senhor derrama em profusão o Espírito” (CIC, n. 731).
Por essa razão, precisamos entender o significado da Terceira Pessoa da Santíssima Trindade: “O termo Espírito traduz o termo hebraico Ruah que, na sua primeira acepção, significa sopro, ar, vento. Jesus utiliza precisamente a imagem sensível do vento para sugerir a Nicodemos a novidade transcendente d’Aquele que é pessoalmente o Sopro de Deus, o Espírito Divino. Por outro lado, Espírito e Santo são atributos divinos comuns às Três Pessoas Divinas. Mas, juntando os dois termos, a Escritura, a Liturgia e a linguagem teológica designam a Pessoa inefável do Espírito Santo, sem equívoco possível com os outros empregos dos termos espírito e santo” (CIC, n. 691).

Nessa celebração somos convidados e enviados para professar ao mundo a presença do Espírito Santo. E invocarmos a efusão do seu Espírito para que renove a face da terra e aja com a mesma intensidade do acontecimento inicial dos Atos dos Apóstolos sobre a Igreja, sobre todos os povos e nações.

O ESPÍRITO SANTO CONDUTOR DA IGREJA E DE NOSSA FÉ

No ESPÍRITO SANTO originam-se os carismas, ministérios e serviços suscitados no correr dos séculos de nossa Igreja, que sempre foi inspirada a encontrar os caminhos da caridade, para chegar a todos os recantos e aos corações, com a criatividade que caracteriza seu serviço à humanidade.

OS DONS DO ESPÍRITO SANTO

Dele emanam dons, que nos fazem viver de forma divina a nossa vida nesta terra: Sabedoria, Entendimento, Conselho, Fortaleza, Ciência, Piedade, Temor de Deus. De sua presença prosperam os seguintes frutos: “amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, lealdade, mansidão, domínio próprio” (Gl 5, 22-23).

Quando falamos da vida segundo o Espírito, não devemos imaginar uma vida fora da realidade.

O Pai ama por meio do Filho (Jo 10,17) e derrama o Seu Espírito, o Defensor, para que permaneça com os Seus (Jo 14,16), ou seja, é um dom de Deus para toda a humanidade. Desde os primórdios, os padres da Igreja ensinam que esta nasceu no Espírito Santo doado por Cristo no alto da cruz, e também no cenáculo em Pentecostes. O Pentecostes, narrado no livro dos Atos dos Apóstolos, capítulo 2, é o mais famoso relato sobre Sua vinda, porém houve outros Pentecostes (Atos 4,31; 8,16-17; 11,44-48). Um mais atual ocorreu na fundação da Renovação Carismática Católica (RCC), onde o seu espírito foi derramado com grande força sobre os leigos ungidos da nossa Igreja .A Igreja nasceu no Espírito, Ela é movida, sustentada e guiada por Ele.

SACRAMENTOS

O Espírito Santo é invocado nos sacramentos, em diversas fases da vida de um cristão.
No batismo, somos batizados em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Quando somos perdoados no sacramento da penitência, somos perdoados pelo Espírito enviado do Pai e do Filho, e assim todos os sacramentos são realizados pela ação do Espírito.
Quando falamos da vida segundo o Espírito, não devemos imaginar uma vida fora da realidade, desvinculada de si mesma; aliás, a vida humana é composta pela realidade física, biológica, psíquica e espiritual, nenhuma deve ser descartada, pois o ser humano é um todo. Devemos ter bem claro isso: somos um conjunto, mas precisamos reconhecer que, quando a vida espiritual vai mal, as outras realidades acabam indo mal; e quando se vive uma espiritualidade sadia, consegue-se superar os males físicos, biológicos e psíquicos. Quando há saúde espiritual, os males em outras áreas podem não ser sanados, mas superados pela força do Espírito. O mal físico e a violência podem nos impedir de caminhar alguns metros e nos limitar, enquanto o Espírito Santo nos leva a sermos realmente livres.

VINDE ESPÍRITO SANTO

Vinde Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do Vosso Amor. Enviai o Vosso Espírito e tudo será criado e renovareis a face da terra.
Oremos: Ó Deus que instruíste os corações dos vossos fiéis, com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas segundo o mesmo Espírito e gozemos da sua consolação. Por Cristo Senhor Nosso. Amém

Fonte: https://formacao.cancaonova.com/espiritualidade/o-sentido-do-pentecostes/
http://shalom-israel-shalom.blogspot.com.br/2012/05/shavuot-pentecoste-festa-que-une-judeus.html
https://formacao.cancaonova.com/espiritualidade/espirito-santo/e-tempo-de-clamar-o-espirito-santo/
https://formacao.cancaonova.com/liturgia/tempo-liturgico/pentecostes/pentecostes-uma-vida-sob-a-acao-do-espirito-santo/

Post: Samuel Rocha

quinta-feira, 17 de maio de 2018

TERCEIRO DIA DA NOVENA DESATADORA DE NÓS 2018

Com participação internacional da irmã Assunción Codes de Roma Coordenadora geral das Irmas Teresianas e Irma Alzira Nascimento coordenadora Geral da Província das irmãs teresianas no Brasil . Também com a Colaboração da rede de Drogarias Nissei - Guarapuava .A Nissei conta hoje com mais de 250 lojas que geram mais de 5000 empregos diretos e atende mais de 3,5 milhões de clientes por mês. A rede nos presenteou com sua equipe verificando pressão. Diabetes .e orientações Básicas pra saúde.










Post em By
Walter Unger
CENTENAS DE FOTOS CLICANDO AQUI


quarta-feira, 16 de maio de 2018

HÁ CADA MISSA UM MILAGRE

Toda Santa Missa é um milagre, isso se deve ao estarmos em pleno contato com o divino, desde o inicio com o Sinal da Cruz, continuando com o momento do perdão, chegando a bênção sacerdotal e o seu apogeu ocorre na Consagração Eucarística. E é sobre esse tema que discorreremos nessa matéria.

O momento em que o Pão passa a ser o CORPO de Cristo, e o Vinho torna-se o SANGUE do nosso Senhor, esse ato chama-se transubstanciação.
  • A transubstanciação do Pão em CORPO ocorre quando o padre profere as seguintes palavras:

Durante a refeição, Jesus tomou o pão, benzeu-o, partiu-o e o deu aos discípulos, dizendo: Tomai e comei, isto é meu corpo”.
  • A transubstanciação do Vinho em SANGUE acontece quando o padre presidente da celebração fala:

Tomou depois o cálice, rendeu graças e deu-lhe, dizendo: Bebei dele todos, porque isto é meu sangue, o sangue da Nova Aliança, derramado por muitos homens em remissão dos pecados.

Jesus é a Hóstia Sagrada e também o Vinho dentro do cálice, Jesus entrega-se a seus filhos  unidos, para que quando comungamos saíamos evangelizando em seu nome.
  Afirmamos isso com referências bíblicas do Antigo e Novo Testamento a qual destacamos a resposta de Jesus, quando indagado sobre quem ele era, revela JESUS:

“Eu Sou o que exatamente vos declaro. Jesus então lhes disse: Quando tiverdes levantado o Filho do Homem, então conhecereis quem SOU e que nada faço de mim mesmo, mas falo do modo como o Pai me ensinou.” Evangelho de São João 8, 25;28.

A IGREJA “PRIMITIVA” E A EUCARISTIA

 São Justino do ano de 165 escreve em sua carta “Diálogo com Trifão”:

  Este alimento chama-se, Eucaristia, da qual a nenhum outro é lícito participar, senão ao que crer que essa doutrina é verdadeira, e que foi purificado com o batismo para o perdão dos pecados e para a regeneração, e que vive como Cristo ensinou. Por que estas coisas não as tomaram como pão comum nem bebida comum, mas ao contrário assim como o Verbo de Deus, havendo de encarnado em Jesus Cristo nosso Salvador, se tornou carne e sangue para a nossa Salvação, assim também nos é ensinado que o alimento eucaristizado, mediante a palavra (verbo) precedente d’Ele – O alimento de que nossa carne e nosso sangue, se nutrem com arranjo para nossa transformação – é a carne e o sangue daquele que Jesus que se encarnou. Pois os apóstolos, nos comentários por eles compostos, chamamos evangelhos, nos transmitiram o que assim lhes havia sido transmitido: Que Jesus, tendo tomado o pão e dando graças, dizendo: Façam isso em memória de mim; este é meu corpo, e somente fez eles participantes. A mesma coisa também nos mistérios de Mitra tem sido ensinada pelos malvados demônios, tomando por imitação. Por que sabeis, ou podem saber, que quando alguém é iniciado neles, se oferecem um pão e um cálice de água e se dizem certos versos.

DISTRIBUIÇÃO DA EUCARISTIA NA MISSA

Ao distribuir a Eucaristia, o Ministro Extraordinário  da Sagrada Comunhão e o Padre  dizem aos fiéis que se aproximam para comungar: O CORPO DE CRISTO. A Pessoa que receba deve obrigatoriamente responder: Amém.


PECADOS QUEM IMPEDEM À COMUNHÃO

A Igreja nos ensina que não podemos comungar em pecado mortal sem antes nos confessarmos. Pecado mortal é aquele que é grave, normalmente contra um dos Dez Mandamentos de Deus: matar, roubar, adulterar, prostituir, blasfemar, prejudicar os outros, ódio, entre outros. Caso ainda ocorram dúvidas é extremamente recomendável a conversa com um padre.


Imagem: Mauro Lucas Ferreira
Post: Samuel Rocha
Fontes:IUBEL Pe. CRISTOVAM. Manual do Ministro Extraordinário da Sagrada Comunhão e das Exéquias. EDITORA: Pão e Vinho,Guarapuava-2013- 15ª edição revisada.
https://formacao.cancaonova.com/igreja/doutrina/que-pecados-nos-impedem-de-comungar/
https://www.catequesedoleigo.com.br/2015/04/isto-e-o-meu-corpo-transubstanciacao.html


quinta-feira, 10 de maio de 2018

SEGUNDO DIA DA NOVENA DESATADORA DE NÓS

Com a igreja lotada de fiéis , paroquianos de nossa Paroquia e Paroquianos de nossa Diocese de Guarapuava , Mais um dia de nossa novena a Maria Desatadora de Nós . com auxilio da Faculdades CAMPO REAL  nos auxiliando  com direito e medicina .  fomos agraciados por vários alunos com seus carismas e doação . 
Com homenagem especial e Oração as Mães  Padre Reonaldo Pereira da Cruz  e Jean Stori Conduziram um momento único as Mães .







MUITAS FOTOS NESTE LINK AQUI
Post em By Walter Unger

quarta-feira, 9 de maio de 2018

NOSSA SENHORA DESATADORA DE NÓS

O mês de maio é dedicado em especial a Maria de Nazaré, mãe de Jesus, conhecida por vários títulos em todo o mundo, e pela sua intercessão está realizando em nossa paróquia a sexta edição da novena Nossa Senhora Desatadora de Nós, que ocorre as quartas-feiras a partir das 19h30.


 HISTÓRIA DE NOSSA SENHORA DESATADORA DE NÓS

 Esse título em especial originou-se na Alemanha, por volta do ano 1700, nesse tempo, o pároco da capela de St. Peter (São Pedro), na cidade de Augsburg, encomendou um quadro de Nossa Senhora ao pintor Johann Schmittdner. O pintor era um cristão fervoroso e conhecedor profundo de textos dos Padres da Igreja. Por isso, antes de pintar o quadro, ele foi buscar inspiração nas palavras de Santo Irineu, Bispo de Lyon, que viveu no Século III. Ele encontrou um escrito que revela:
   
“Eva atou o nó da desgraça para o gênero humano, Maria por sua obediência o desatou”.

Por causa dessas palavras inspiradas de Santo Irineu, Johann Schmittdner concebeu um quadro onde Nossa Senhora é representada como a Imaculada Conceição e aparece entre o céu e a terra. Acima dela, o Espírito Santo derrama suas luzes. Sua cabeça possui 12 estrelas, lembrando o texto de Apocalipse. Do lado esquerdo da Virgem um anjo aparece e entrega-lhe uma fita com nós grandes e pequenos, separados e juntos. Estes nós simbolizam o pecado original e nossos pecados cotidianos. Esses pecados nos causam problemas, nos levam para longe de Deus e nos impedem que a graça de Deus frutifique em nossas vidas.Do lado direito das mãos de Maria, a fita aparece sem nós e desce lisa até às mãos de outro anjo, mostrando que Maria está desatando os nós. Simboliza a vida nova mergulhada em Deus e na sua misericórdia e o poder libertador das mãos de Maria. O dia de Nossa Senhora Desatadora De Nós é comemorado sempre em 15 de agosto.
Para a conclusão da novena nossa paróquia, realizará a romaria ao Santuário Nossa Senhora Desatadora de Nós (SP), o ônibus partirá no dia 30 de junho e retornará 1 de Julho, mais informações na secretaria paroquial, ou pelo fone(42)3624-3365.

MARIA EXEMPLO DE MÃE

A figura materna de Maria, Mãe de Deus, a humanidade encontra o modelo perfeito de mulher e de mãe para todos os tempos. Na Carta do Papa João Paulo II às mulheres, possuímos uma reflexão do Santo Padre que ilumina a figura da mulher e da mãe, tantas vezes deturpada e incompreendida pela sociedade. O Beato revela que a Igreja observa em nossa  Virgem Maria, a máxima expressão do feminino e encontra nela uma fonte incessante de inspiração. Maria definiu-se “serva do Senhor” (Lc 1, 38). Em obediência à Palavra de Deus, Nossa Senhora acolheu a sua vocação privilegiada, mas nada fácil, de esposa e mãe da família de Nazaré. Colocando-se ao serviço de Deus, Ela colocou-se também ao serviço dos homens: um serviço de amor. “Este mesmo serviço permitiu-Lhe realizar na sua vida a experiência de um misterioso, mas autêntico ‘reinar’. Não é por acaso que é invocada como ‘Rainha do céu e da terra’”.
O materno reinar de Maria é o seu dom sincero, doando-se  ao seu Filho com todo o seu ser. Ao fazer-se dom para o Menino Jesus, ela tornou-se também dom para os filhos e filhas de toda a humanidade. Mãe de todo gênero humano, Nossa Senhora gera uma profundíssima confiança em quem a Ela recorre para ser guiado pelos caminhos difíceis da vida até seu próprio destino definitivo, o Reino dos Céus. “Cada um chega através das etapas da própria vocação a esta meta final, uma meta que orienta o empenho na história tanto do homem como da mulher”.

O dom da maternidade da Virgem Maria ilumina toda a vida da mulher, especialmente daquela que é mãe. Como todo ser humano, a mulher que é mãe se realiza quando transforma o seu reinado em serviço de amor, quando esta procura realizar bem a tarefa que lhe foi confiada por Deus e, ao mesmo tempo, vive esse serviço como um reinado, revestido de toda a dignidade. Como um pai não se realiza plenamente sem exercer bem o seu ser pai, a mãe também não se realiza plenamente sem ser uma boa mãe. A imagem perfeita da mulher, especialmente daquela que é mãe, se realiza plenamente em Maria e exprime bem o ser da Igreja, enquanto comunidade consagrada. Pois Nossa Senhora, consagrou-se totalmente, com um coração virgem, para ser esposa de Cristo enquanto membro da Igreja, e mãe de todos os fiéis.
Maria é um autêntico modelo para quem busca ardentemente se identificar com Jesus e viver os valores do Evangelho. Ela não só escutou atenta e calorosamente a Palavra de Deus e a pôs em prática, como também concebeu em seu ventre virginal o Verbo de Deus que se fez homem e se tornou o nosso eterno Redentor. A Palavra do Senhor encontrou acolhida no coração de Maria e em seu ventre puríssimo se encarnou e veio fazer morada entre nós. Assim se expressou o Papa Leão XIII em 1897: “Deus a escolheu desde a eternidade para vir a ser Mãe do Verbo”, que se encarnaria; e, por este motivo, entre todas as criaturas mais belas na ordem da natureza, da graça e da glória, o Senhor a distinguiu com privilégios tais, que a Igreja com razão aplica a ela aquelas palavras das Santas Escrituras: “Saí da boca do Altíssimo, primogênita antes de toda criatura” (Eclo 24, 5).

ORAÇÃO A NOSSA SENHORA DESATADORA DE NÓS

Virgem Maria, Mãe do belo amor, Mãe que jamais deixa de vir em socorro a um filho aflito, Mãe cujas mãos não param nunca de servir seus amados filhos, pois são movidas pelo amor divino e a imensa misericórdia que existem em teu coração, volta o teu olhar compassivo sobre mim e vê o emaranhado de nós que há em minha vida. Tu bem conheces o meu desespero, a minha dor e o quanto estou amarrado por causa destes nós. Maria, Mãe que Deus encarregou de desatar os nós da vida dos seus filhos, confio hoje a fita da minha vida em tuas mãos. Ninguém, nem mesmo o maligno poderá tirá-la do teu precioso amparo. Em tuas mãos não há nó que não poderá ser desfeito. Mãe poderosa, por tua graça e teu poder intercessor junto a Teu Filho e Meu Libertador, Jesus, recebe hoje em tuas mãos este nó (faz um pedido) Peço-te que o desates para a glória de Deus, e por todo o sempre. Vós sois a minha esperança. Ó Senhora minha, sois a minha única consolação dada por Deus, a fortaleza das minhas débeis forças, a riqueza das minhas misérias, a liberdade, com Cristo, das minhas cadeias. Ouve minha súplica. Guarda-me, guia-me, protege-me, ó seguro refúgio! Maria, Desatadora dos Nós, roga por mim.

Post: Samuel Rocha


PARÓQUIA SANTOS ANJOS RECEBE SEMINÁRIO DIOCESANO


Neste sábado, 5 de maio, a Paróquia Santos Anjos teve o prazer de receber os meninos do Seminário Diocesano Nossa Senhora de Belém, em que Padre Reonaldo e Padre Amarildo, celebraram a missa em conjunto. Foi um importante momento, onde eles puderam contar um pouco sobre a sua descoberta a vocação e a entrada ao seminário. 
Com base nisso, conversamos com o seminarista Marcos, que pôde nos contar sobre as principais coisas que o fizeram tomar a decisão de dedicar sua vida ao reino de Deus e renunciar ao mundo. 

Assista ao vídeo da entrevista: https://www.facebook.com/paroquiasantosanjos/

O Seminário Diocesano Nossa Senhora de Belém pertencente à diocese de Guarapuava-PR, é uma instituição voltada à formação de futuros presbíteros, onde funcionam duas das etapas formativas, são elas o: ensino médio e o propedêutico, das quais os vocacionados durante a caminhada formativa passam em preparação ao sacerdócio, tendo como linha condutora desta formação as cinco dimensões da formação presbiteral apresentadas pelas diretrizes para formação dos presbíteros da Igreja no Brasil (documento 93 da CNBB) que são elas:

1. Na dimensão humano-afetiva: prioridade ao amadurecimento da personalidade do vocacionado; aprofundamento do discernimento vocacional; aprimoramento da formação humano-afetiva; centralização e atenção especial à pessoa do formando, através de acompanhamento personalizado, psicoterapia, dinâmicas de grupo; promoção do conhecimento de si mesmo, das qualidades, defeitos e limites; orientação sobre a sexualidade masculina e feminina; formação da consciência e do caráter; equilíbrio no relacionamento inter-pessoal.

2. Na dimensão comunitária: iniciação e aprofundamento da vida comunitária; superação das tendências ao isolamento e individualismo; formação para práticas de acolhida, abertura, partilha e solidariedade; experiências de convivência e trabalho em grupo; superação de apegos pessoais em vista da inserção na comunidade; reconhecimento das qualidades alheias; seriedade nos compromissos assumidos com a comunidade e com os outros.

3. Na dimensão espiritual: aprofundamento da experiência de Deus e de amizade com Jesus Cristo, através da consciência da vocação batismal, da celebração diária da Eucaristia, da leitura orante da Palavra de Deus, das celebrações da Palavra, de métodos de oração e de exercícios espirituais; da confissão frequente e direção espiritual, da devoção mariana e oração do terço; valorização das experiências de fé vividas anteriormente; participação em acontecimentos importantes em nível de Igreja e de congregação religiosa; noções de liturgia e espiritualidade; introdução ao mistério de Cristo e da Igreja, através do estudo do Catecismo da Igreja Católica.

4. Na dimensão intelectual: complementação da formação intelectual (humanística e científica) do ensino médio; introdução ao ensino da filosofia; metodologia de estudo, leitura e aprendizagem; aperfeiçoamento da língua vernácula; aperfeiçoamento de uma língua estrangeira moderna; noções básicas de ciências sociais, história, geografia e política, cultura brasileira,economia; administração paroquial como serviço da dimensão pastoral-missionária; formação da consciência crítica da realidade; música, artes sacras, cultura popular e teatro.

5. Na dimensão pastoral-missionária: iniciação à compreensão da Igreja e do ministério presbiteral; preparação para a vida eclesial, na abertura para a vida missionária, tendo presente alguns meios: observação da caminhada pastoral de uma comunidade; atuação na comunidade eclesial; conhecimento da pastoral orgânica da Igreja local; especial atenção ao desafio da pastoral urbana; experiência em situações-limite que vive o povo; visitas a presídios, asilos, orfanatos, casas de recuperação de drogados; partilha de experiências; atenção especial a temáticas que envolvem fortemente a humanidade toda, como direitos humanos e aquecimento global.

Post: Ellen Karolynne - Coord. Pascom

Postagens Relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...